quinta-feira, 12 de junho de 2008

UM DIA...

Guarda menina, essa flor
E sua mão pequena, carinhosa
em minhas mãos deixara uma rosa...

Guarda menina, essa flor
Meu olhar, meu sorriso, meu amor

Amanhã... Quem sabe
Há sempre um dia na vida
Lembrarás o menino que partiu
E ficou... numa flor esquecida.

Guarda menina, essa flor
E quando eu voltar...
Grande, sofrido

Recostando a cabeça em teu ombro
choro em silêncio, por não ser menino
porque me perdi...


Guarda, menina, minha dor...
E dá-me, de consolo, a flor
Que um dia te ofereci...

Poema de Vina Cardim

3 comentários:

Clóvis Campêlo disse...

No passado tinha quintais, coqueiros e bananeiras.
Também havia luas e estrelas.
E anjos que desciam disfarçados em mulheres para ninar as crianças do meu tempo.
No passado não havia o mêdo e o boi da cara preta era apenas uma canção que nos entorpecia.
Uma vez, da janela do meu quarto, que apontava para o leste, vi um deles escondido entre as folhas do coqueiro.
E o farfalhar das suas asas provocava um vento morno e se confundia com os movimentos das árvores.
Por um instante, tive impressão de contemplar a doçura dos seus olhos.
Quando acordei e deu por mim, eles já não estavam mais lá.

mundo azul disse...

...que doces versos! É um poema encantador...
Beijos de luz e um dia muito feliz!!!

Maria Muadiê disse...

Lindo, amida. Ou melhor, lindos, a foto e o poema.
beijo,
M.