quinta-feira, 18 de janeiro de 2007

A CONFORMIDADE DO REMOÇAR DE ANDORINHAS



Como nunca entardecido



Observe aquela renda

tecida do chão ao ocidente

com matiz de anos.

Acabamos de fazer gritos nela

e prendemos com cuidado

colhemos os prontos

outros trançamos com força.

A tarde disse que não tardava

e a gente deitou a tarde na mornura

para abrasar essa noitinha

e fazer resultar satisfação

essas de iguarias.


Célio Pedreira, Tocantins




3 comentários:

Sílvia Câmara disse...

Deitar a tarde na mornura para abrasar essa noitinha, é lindo demais.
É por isso que as andorinhas remoçam mesmo, inclusive a nós.
beijo bem grande, Ceiça

Celio disse...

Cara Escrevinhadora

Inigualável felicidade por estar aqui em seu sítio, nesta rede, na inquietação dos dias a balançar nossos recônditos.
Com muito afeto
Célio Pedreira

MARIAESCREVINHADORA disse...

As andorinhas tecendo renda no chão do mundo, com nós profundos e amores aprofundados.
Parabéns Célio, parabéns Conceição.
Meu abraço amigo,

Verônica Aroucha