sexta-feira, 21 de agosto de 2009

VOCÊ SABERIA


Imagem google



Se você tivesse um notebook

Haveria de encontrar na tela

A confissão desse amor antigo

Com raízes fincadas na terra



Debaixo de uma árvore frondosa

Resistente às intempéries

A todo vendaval impiedoso

Desses em que nada resta

Apenas as raízes à mostra



Se você tivesse um notebook

Haveria de saber do tamanho

Das raízes de um grande amor

Fincadas no mesmo lugar



Anseiam por alimento no solo

Devastado e sem nutrientes

Essenciais à vida, ao viço

De um amor indestrutível



Sem nunca, nem por instantes

O tempo, a saudade, a dor

De vivermos separados

Conseguiu destruir ou apagar



Se você tivesse um notebook

Onde quer que esteja agora

Saberia quanto te amo

Depois de tantos temporais

Apesar do passar dos anos.



Conceição Pazzola



5 comentários:

lucelena disse...

Ceiça,

Singelo e moderno esse seu poema. Um grito, calmo, de amor e de saudade.

abrç

Maria Muadiê disse...

adorei!

Dalinha Catunda disse...

Adooorei!!!!!!!!!

Eu não tenho um notebook,
Mas tenho um computador.
Através dele encontrei,
estes teus versos de amor.
Só sendo mesmo de Olinda,
Essa criatura tão linda,
Que escrevendo me encantou.

Um abraço,
Dalinha

Thales disse...

Nossa,me encatei com todas essas palavras. Você faz um belo trabalho; tem um ótimo jogo de cintura.

Clóvis Campêlo disse...

À poetisa é dado o direito de transgredir dimensões, espaços, tempos, ares, e recriar, sob a batuta da sua construtividade literária, o mundo e os sentimentos. Também gostei!