segunda-feira, 26 de novembro de 2007

ESPERANÇA






(praia de Cumbuco)


Vejo brotar pequena flor

Nesse canteiro de espinhos

No meio de minhas dores

Entre as ervas daninhas


Desabrocha novo alento

Devagar teima e persiste

Ao furor de chuva e vento

Resiste semi-escondida


Disfarça a dor do passado

Nas pétalas de arco-íris

Exala cores perfumadas


Apequena minha tristeza

Durante o efêmero viver

Afugenta com seu aroma

Relances de mal querer


Esconde entre suas pétalas

As dores, a feia realidade

Espalha energia e vontade

De palmilhar nova estrada.


Conceição Pazzola 05/05/1999.


4 comentários:

José Calvino disse...

Escritoramiga Conceição,
A sua poesia marca a originalidade, tanto na natureza
quanto na composição poética. Nos seus versos retrata a vida...tem imagens desproporcionais entre o ajardinado e a praia. Parece estar vendo o seu caminhar a pé pela praia de “Cumbuco”, Pernambuco?
Parabéns poetamiga!
Abração do tamanho de Pernambuco,
José Calvino

Maria Muadié disse...

Lindo, Ceiça, lindo.
Esta Esperança é linda.
beijo

Gerlane disse...

Ceiça, querida,

Quanta vida simbolizada aqui: flor, esperança e juventude! Quanta beleza junta!

Beijos,

Gerlane

KIMDAMAGNA disse...

espinhos,
dores daninhas...
novo alento,
nova estrada!

Muito bonito!
Foi como cafuné em meus cabelos...
Abraço.