domingo, 14 de outubro de 2007

A ÁRVORE E O MESTRE



Debaixo de uma árvore encontramos o abrigo para a chuva e para o sol inclemente. Ela nos dá frutos, alegra-nos a visão quando floresce. A solidez do tronco empresta-nos a visão da eternidade das coisas, as raízes fincadas ao solo transmitem-nos segurança. Nada mais tranqüilizante do que a copa de uma árvore, depois de exaustiva caminhada.

Desafiando as intempéries, ano após ano a sombra amiga permanece, como a nossa espera.

Também o bom mestre desafia as intempéries da vida quando se entrega ao ofício escolhido. Ele nos oferece a seiva preciosa das raízes do saber: as flores, os frutos, a sombra.

Alinha à paciência as flores da sabedoria e do amor quando nos conduz pelos caminhos arenosos do conhecimento. Frutos sazonados colhidos em tempo certo, são os resultados do quanto soubemos com ele aprender. À sombra amena dos louros descansamos, garantindo os dias futuros, quando bem aplicamos a aprendizagem com ele absorvida.

O bom mestre sempre assemelha-se a uma árvore. Fortaleza de solicitude e de amor, fonte inesgotável onde buscamos flores, frutos e sombra (abrigo).

A ele recorremos nas horas de necessidade. Quando é preciso continuar a jornada, dele nos despedimos sem nenhuma dúvida, na certeza de encontrá-lo a nossa espera, onde o deixamos.

Conceição Pazzola

1984/março.


5 comentários:

Rafael Velasquez disse...

tudo começou de baixo duma árvore.

Maria Muadié disse...

que belezura, Ceiça....amo árvore.
Na próxima encarnação quero ser árvore.

Sílvia Câmara disse...

Linda lição, Ceiça.
No dicionário, abrigar é acolher, resguardar do rigor do tempo, agasalhar, proteger, amparar.
Um beijo, querida e que Deus nos abrigue.

LIRIS LETIERES disse...

Ceiça,
Não é que dormi em seu colo debaixo dela?
Eita sono bom!
Liris espreguiçando-se toda Letieres

Gerlane disse...

Abençoada missão essa, né, Seiça?!
E, abençoada inspiração a sua!

Um abração,

Gerlane