segunda-feira, 29 de outubro de 2007

O CHEIRO DO CAJUEIRO


Pergunte ao tempo

Por que tanta chuva

Tanto frio e vento

Para onde levaram

O calor do Nordeste

Aquela brisa mansa

Que beija e balança


Chão molhado o ano inteiro

Quem controla o pensamento

Sem controle do cajueiro


Pergunte ao vento

Que traz esse odor

De todos dezembros

Se ainda não chegou

Já quase varre o céu

Espalha-se pelos ares

O cajueiro perfumado

Visão de tempo antigo

De criança, gente feliz

Entregue ao deleite

De frutos, castanhas

Pelos meses quentes


Pergunte ao cajueiro

Por que se pôs florido

Se ainda não é verão

Os galhos varrem o céu

Conversam com nuvens

Dá flores, faz promessa

No quentes meses fartos

De frutos e castanhas


Conceição Pazzola

outubro/2007

7 comentários:

Gerlane disse...

Ceiça,

Esse poema me levou longe, no tempo, à lembrança de quando eu subia num cajueiro que existia no quintal da casa onde morei quando criança, na minha cidadezinha do interior. "Velhos tempos, belos dias!"

Abraços,

Gerlane

SAMANTHA ABREU disse...

Puxa! Muito bonito!
Parabéns!

ps: Veja, hoje, "A criação" no FALÓPIO: http://versosdefalopio.blogspot.com/

beijos!

Anônimo disse...

pergunte ao caos como ele ser tão perfeito e seus versos tão bonitos.

se tiver resposta venha correndo me contar!

obrigada pela visita ao falópio!
agora foi a minha vez de vir conhecer o teu trabalho :)

irei linkar seu blog ao meu blog pessoal. sua poesia é uma nobreza só!

beijo!

*

david santos disse...

Por favor!
Faz alguma coisa pela "justi�a" brasileira.
Fl�via vive em coma e a "justi�a" brasileira tamb�m.

(a resigna�o � parar a evolu�o. David Santos, in tempos de sempre)

Obrigado
David Santos

MARIAESCREVINHADORA disse...

Karla,


Obrigada, farei o mesmo com o seu blog, viu?
Quanta honra, fiquei sem jeito.Volte sempre!
Beijo,

Conceição

José Calvino disse...

Ah que saudade do meu pequeno cajueiro! Com a sua poesia, Conceição, fiquei rejuvenescido...
Brincava com as castanhas, de "mocinho e bandido"...enfim,
um pouco tarde visitei o seu lindo
blog!!!
Abração do,
Calvino

José Calvino disse...

Ah que saudade do meu pequeno cajueiro! Conceição, com a sua poesia fiquei rejuvenescido...
Brincava com as castanhas, de "mocinho e bandido" rsrsrs
Enfim, um pouco tarde, mas foi gratificante visitar o seu lindo blog. Na medida do possível estou visitando todos dos PIs!!!
Abraços do,
Calvino