domingo, 18 de março de 2007

ANNA KARENINA, RESUMO


ANNA KARENINA

Leon Tolstói

“Minha é a vingança e a recompensa” Deuteronômio 32:35


O magnífico romance do grande escritor Leon Tolstoi tem por cenário a Rússia czarista onde a mulher é inserida numa sociedade hipócrita, decadente e dominada por grandes senhores de terras.

Até conhecer o homem que mudaria radicalmente o seu modo de agir, Anna partilha com o marido de uma família aparentemente sólida, sequer desconfia que a vida não se resume apenas às obrigações impostas pelo marido que a exibe nos salões como objeto precioso.

Tudo acontece quando vai a Moscou a fim de tentar salvar o casamento de seu irmão que estava em crise. Consegue, entretanto apaixona-se por um aristocrático militar, por ele abandona o marido e o filho pequeno. Dominada pela intensa paixão esquece as obrigações e viaja com o seu amado para o exterior; o remorso, a saudade do filho devagar destroem a felicidade que ela imaginava encontrar nos braços de seu amante. Devagar a paixão vai se diluindo, Anna percebe que é impossível voltar atrás, entra em desespero, deixa o causador de sua desgraça e atira-se embaixo de um trem.

O livro prossegue com outro personagem, um jovem proprietário de terras rurais que se debate entre conflitos de classe com os lavradores e problemas existenciais, que passam a segundo plano quando ele se apaixona por uma jovem simpática e cheia de vida, que se torna a sua esposa. Apesar de haver encontrado a felicidade ao lado de sua querida Kitty, Lievin mergulha de novo nos problemas existenciais, até conhecer um velho mujique que ensina-o a procurar confiança e Fé em Deus para cuidar da saúde de sua amada esposa. Lievin descobre as respostas para os seus questionamentos, torna-se confiante e vai para os braços de Kitty que espera um filho seu.

Um comentário:

Odimariles disse...

Conceição,
não queria fazer comentários sobre o livro, que tem uma história forte e fascinante.
Queria falar de você, do seu blog etc.
Fiz uma descoberta, sou sagitariana como você 13/12 e moro em Olinda, Bairro Novo.
Um grande abraço,
Odimariles