sexta-feira, 24 de abril de 2009

Incerteza


Imagem google


Debruça a relva com a ventania

Arrasta uma flor na força das águas

Ninguém ouve seus gritos de agonia

Entregue ao rodopio da correnteza



Suas pétalas agonizam lentamente

Vão de enxurrada sem defesa

Indiferente o rio segue em frente

Obediente à força da natureza



Como a flor dizimada pelo vento

Prossigo afogada na incerteza

Da vida insana sem lamento

Insegura e distante da represa



Envolta na tormenta, devagar

Rendo-me a um torpor benfazejo

Desisto de querer e de sonhar

Desperdiço pétalas dos desejos.


Conceição Pazzola

Junho/2008

3 comentários:

Maria Muadiê disse...

Belo, Ceiça.
Triste e belo.

Verônica Aroucha disse...

Foi no momento do cansaço da luta, assim que você bela flor se deixou levar, encontrou a luz e a chegada.
Lindo amiga.
bjs

José Heber de Souza Aguiar disse...

Olá, Senhora Conceição.
Encontrei seu blog e vim dar uma espiada. Gostei do seu estilo de escrita bem como das temáticas.
Bom, vou seguir seu blog para voltar.
Sucesso!
José Heber
www.joseheber.blogspot.com