sexta-feira, 4 de abril de 2008

PASSEIO
















Primeiro nascer do sol de 2008

Agora que a longa chuva deu trégua

Sem borbulho nas calhas de telhados

Vejo entre nuvens o colorido arrebol

Quero passear em calçadas molhadas



Vou ao encontro de outras meninas

Tão felizes e descalças como eu sou.



O longo temporal e a forte ventania

Derrubou sob árvores gostosos oitis

Em breve teremos sorrisos amarelos

Trocaremos nossos alegres segredos


Depois de risadas e suspiros reprimidos

Impacientes, envoltas pelo brilho do sol

Em grupos ruidosos pedalamos bicicletas

Seguidas de perto por olhares preocupados


Daqueles que serão um dia nossos maridos

De tanto pedalar ao sabor da ventania

Teremos desmanchados os cabelos

Inflamados em nossos peitos os desejos


Inconfessos verdes anos de puberdade

Sufocada sob as pregas do vestido

Aflorada em rimas de cantigas e solfejos

Repartida entre as amigas sem juízo


No regresso às nossas casas ao fim do dia

Afogueadas por tantas risadas e euforia

Ainda unimos os nossos assobios irritantes


Ao canto de cigarras, sabiás e bem-te-vis

Entre os galhos da árvore, vigilantes

Saúdam os pequenos comedores de oitis.


Maria da Conceição Cardim Pazzola.

Olinda, 13/7/02 (09:20)




Um comentário:

Gerlane disse...

Fiz um agradável e leve passeio por teus versos, querida Ceiça!

Beijos!